Por Marcelo N. Farias

Noite de final de Libertadores envolvendo Brasil x Argentina, partida polêmica, com árbitro de vídeo, discussão sobre pênaltis, cartões, mas o assunto do torcedor paracatuense foi apenas um, a tão falada Copa Verde.

A notícia (bomba!!) foi veiculada no site da CBF às 18:44min. Os torcedores mais próximos dos bastidores do futebol devem saber que as vagas do Distrito Federal para a competição vem sendo motivo de uma “novela mexicana”.

Em resumo, tentarei esclarecer o que ocorreu. Tudo começou com a incompetência da Federação Brasiliense de Futebol ao fazer um regulamento que deu brechas aos times envolvidos no Candangão postularem as vagas para a Copa Verde, mesmo com o arbitral decidindo que estas seriam do 3º e 4º colocados.

Aproveitando-se disso, o Brasiliense protocolou Recurso no STJD requerendo uma vaga por ser o atual campeão estadual, alegando que o regulamento 2017 não poderia ser diferente do regulamento de 2016, conforme determina o Estatuto do Torcedor. O Tribunal não julgou o Recurso do Brasiliense por questões internas processuais (O STJD entendeu que o Brasiliense deveria ter entrado primeiro no TJD de Brasília e não ir direto ao Tribunal Superior).

Porém, o Brasiliense ficou tranquilo mesmo com o indeferimento da Liminar, pois neste intervalo de tempo certamente recebeu a informação da CBF que o Regulamento da Copa Verde prevê a obrigatoriedade da participação de todos os campeões estaduais (bastaria acessar o site da Confederação para ter acesso a este regulamento que é o mesmo há alguns anos), mas sabemos que as pessoas envolvidas nas gestões das federações são “indicados” políticos que pouco sabem ou têm interesse pelo futebol.

A partir da Decisão do STJD colocando fim ao julgamento da famosa “Liminar do Brasiliense” todos os envolvidos do futebol de Brasília estavam convictos que a 1ª vaga seria obrigatoriamente do campeão estadual e a 2ª vaga que é destinada à Federação seria do Paracatu Futebol Clube, pois foi o 3º colocado no Estadual.

Neste cenário tivemos conhecimento de vários protestos do Presidente e ex jogador do Sobradinho Túlio “Guerreiro”, pois como quarto colocado o seu clube havia certamente perdido a vaga para o Brasiliense por exigência do regulamento da Copa Verde.

O Regulamento Específico desta competição estabelece três critérios para a classificação dos clubes ao torneio, vejamos (em resumo):

Critério 1: Ser campeão estadual. (Brasiliense FC)

Critério 2: Os quatro melhores pelo Ranking Nacional de Clubes desde que não seja campeão estadual. (nenhum clube do Distrito Federal foi classificado por este critério)

Critério 3: Após os critérios 1 e 2, serão concedidas mais três vagas às melhores Federações (pelo Ranking Nacional de Federações e não de Clubes) que só tenham um clube participante até momento. É nesse critério que a Federação Brasiliense recebeu uma vaga e a destinou ao Ceilândia.

Você pode se perguntar e deduzir que da mesma forma que o Ranking Nacional de Clubes é considerado no Critério 2, deve também ser considerado na escolha da Federação, porém, o próprio regulamento da Copa Verde em seu parágrafo 1º estabelece que a Federação tem a liberdade dessa escolha, pois permite, inclusive, a realização de um torneio seletivo para conceder a vaga à competição.

Mas nesse barulho todo da Copa Verde o único clube em silêncio era o Ceilândia, provavelmente trabalhando nos bastidores e articulando a 2ª vaga. No dia 07 de novembro, portanto, há quinze dias da publicação dessa bomba o seu presidente estava acompanhado, lado a lado, do presidente da Federação Brasiliense de Futebol em reunião na Comissão de Esportes da Câmara dos Deputados que tratava justamente da Copa Verde.

f172e473-2794-409d-a865-925c4d857fdcEu acompanhei a reunião on line e tive a oportunidade de enviar uma pergunta simples e direta ao Presidente da Federação Brasiliense:

Quais serão os representantes do Distrito Federal na Copa Verde?

O constrangimento foi notório entre todos os presentes, o Daniel Vasconcelos, Presidente da Federação Brasiliense se recusou a responder o questionamento, mas o Secretário Geral e homem forte da CBF, Walter Feldman, deixou claro que ele estava tratando deste assunto no Rio de Janeiro, na sede da entidade, com o Diretor de Competições Manoel Flores, vejam o vídeo abaixo demonstrando tudo isso:

Concluindo, enquanto a cidade de Paracatu se planejava para a Copa Verde e a diretoria do clube trabalhava incansavelmente no projeto tudo já estava sendo acertado nos bastidores.

Até o momento do fechamento desta coluna a Federação Brasiliense de Futebol não se manifestou sobre o assunto e conforme apurado a indignação e revolta da Diretoria do Paracatu Futebol Clube é muito grande e as medidas a serem tomadas estão sendo estudadas e analisadas.

Vamos aguardar as cenas dos próximos capítulos desta novela!!

Comentarios

Comentarios

Compartilhar